Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 7.jpg
  • 3.jpg
  • 4.jpg
  • 10.jpg
  • 1.jpg
  • 5.jpg
  • 2.jpg
  • 8.jpg
  • 9.jpg
  • 6.jpg

Grandes Projetos

Organizações sociais e Frente Parlamentar Ambientalista visitam comunidades impactadas pelos parques eólicos na Paraíba

Organizações sociais e Frente Parlamentar Ambientalista visitam comunidades impactadas pelos parques eólicos na Paraíba

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) fez parte da comitiva que acompanhou a Frente Parlamentar Ambientalista da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) em visita às comunidades Redinha e Pinga, impactadas por parques eólicos nos municípios de São José do Sabugi e Santa Luzia. A atividade ocorreu no último dia 29 de outubro.…

Leia mais:

Carta Política do Seminário de Formação sobre os Impactos dos Grandes Empreendimentos de Energia Eólica em Pernambuco

Carta Política do Seminário de Formação sobre os Impactos dos Grandes Empreendimentos de Energia Eólica em Pernambuco

A Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares de Pernambuco (FETAPE), que representa 174 Sindicatos de Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares, e parceiros, a partir do Seminário “Armadilhas das Eólicas - Impactos dos Grandes Empreendimentos de Energia Eólica em Pernambuco”, realizado nos dias 14 e 15 de outubro de 2021, de forma remota, nos propõem as seguintes indagações: A que preço se investe em energia renovável? Até que ponto é energia limpa? Como enfrentar os impactos socioambientais causados pelos parques eólicos? Qual é o papel de cada ator e atriz nessa história?…

Leia mais:

Parques eólicos destroem plantações, criação de animais e forçam agricultores para êxodo rural

Parques eólicos destroem plantações, criação de animais e forçam agricultores para êxodo rural

Famílias agricultoras do agreste pernambucano relatam infertilidade de animais, mortes e desaparição de espécies nativas. Atualmente existem 33 parques eólicos em funcionamento no Estado de Pernambuco e quatro estão em fase de instalação.

Em 2016, com a instalação de parques eólicos nos municípios de Caetés, Venturosa, Pedra e Capoeiras, todos no agreste meridional, região semiárida de Pernambuco, dezenas de famílias rurais achavam que a atividade que era propagandeada como uma energia “limpa, sustentável e sem impactos ambientais” poderia ser uma boa fonte de renda com pagamentos entre R$ 1.500 e R$2 mil por cada aerogerador instalado.…

Leia mais: