Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 2.jpg
  • 7.jpg
  • 9.jpg
  • 8.jpg
  • 4.jpg
  • 10.jpg
  • 1.jpg
  • 3.jpg
  • 6.jpg
  • 5.jpg

Paraíba

Sem Terra é presa por denunciar privatização da água na Paraíba

Nesta segunda-feira (8), Sem Terra ocuparam o perímetro irrigado das Várzeas de Souza, no município de Sousa, Paraíba, para denunciar a falta de rigor na fiscalização dos lotes irrigados que deveriam ser destinados prioritariamente à Reforma Agrária, além do uso abusivo de agrotóxicos na produção agrícola de milho pelo Grupo…

Leia mais:

As águas roubadas no Sertão

Pequenos agricultorea acusam grandes proprietários de terra de desviarem água que serveria para todos.


O ano de 2012 que, logo no início, já brindou a Paraíba com a pior seca das últimas 4 décadas, viu, em seu desfecho, o anúncio oficial de um outro fim: o das obras do Perímetro Irrigado das Várzeas de Sousa (Pivas). Distante cerca de 400 quilômetros da praiana capital João Pessoa, o projeto de irrigação capta, conduz e distribui as águas dos açudes Coremas-Mãe d’Água para 4.390 hectares de propriedades agrícolas encravadas em pleno Sertão, entre os municípios de Sousa e Aparecida. No entanto, o anunciado do término das obras no fim do ano passado não resolveu o problema apontado. A falta de água tem sido uma constante na vida dos agricultores. E não pela seca.…

Leia mais:

Agricultores ocupam o Incra/PB e são recebidos por policiais com armas em punho

Cerca de 200 trabalhadores e trabalhadoras rurais sem terra ocuparam, na manhã desta segunda-feira, dia 26, a sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), na cidade de João Pessoa. Os agricultores reivindicaram agilidade no processo de desapropriação dos imóveis em que encontram-se acampados: fazendas Ponta de Gramame, em João Pessoa; Marinas, em Pitimbu; Tambauzinho, em Santa Rita; Retirada, em Caaporã.…

Leia mais:

Agricultores e representantes do Fórum de Proteção do Rio Paraíba ocupam a sede da SUDEMA/PB

 
Com as Palavras de ordem “Rio Vivo, Povo Vivo, Rio Morto povo morto”, cerca de 150 pessoas, entre representantes de comunidades camponesas e entidades que atuam no Fórum de proteção do Rio Paraíba, ocuparam na manhã desta segunda-feira, dia 12, a sede da Superintendência Estadual do Meio Ambiente/PB (SUDEMA). A ocupação teve como objetivo denunciar as práticas criminosas da extração das areias do Rio Paraíba, além de exigir o controle nas licenças concedidas e a nulidade de 30 licenças que foram autorizadas sem os devidos estudos dos impactos sócios ambientais e descumprindo as leis municipais existentes.…

Leia mais: