Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 9.jpg
  • 4.jpg
  • 5.jpg
  • 3.jpg
  • 2.jpg
  • 10.jpg
  • 6.jpg
  • 1.jpg
  • 7.jpg
  • 8.jpg
No último sábado, 18, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) participou de uma oficina promovida pelo grupo de extensão “Construindo Soluções Colaborativas para Questões Públicas Judicializadas”, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com a comunidade de Casqueira, localizada às margens da BR 110, na zona rural do município de Areia Branca.
 
A atividade foi um espaço de escuta realizado com o objetivo de construir coletivamente o histórico da comunidade quase centenária, de compreender as suas relações com o entorno e, sobretudo, de reverberar os anseios das famílias, que respondem a um processo de reintegração de posse movido pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). 
 
A comunidade de Casqueira está no local antes mesmo da construção da BR-110, em 1957. É formada por cerca de 40 famílias de agricultores/as e pescadores/as. Dona Salete é uma das moradoras. Ela nasceu na comunidade no ano de 1945, sendo filha de um dos primeiros residentes do local. Lá, cresceu, casou-se, teve filhos e hoje acompanha a criação de seus netos. Salete lembra da transformação que a comunidade passou com a chegada da BR. “Antes era terra, piçarra e muito depois o asfalto cobriu tudo”.
A oficina contou também com a participação de agentes da Secretaria de Assistência Social, da Secretaria de Serviços Públicos, Urbanismo e Obras e da Procuradoria Geral do Município de Areia Branca.
 
Com informações da Equipe da CPT Mossoró (RN)