Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 8.jpg
  • 2.jpg
  • 3.jpg
  • 7.jpg
  • 4.jpg
  • 5.jpg
  • 9.jpg
  • 10.jpg
  • 1.jpg
  • 6.jpg

As chuvas que caíram recentemente na região do Agreste Meridional têm prejudicado a produção da agricultura familiar. No município de São João,  roças inteiras ficaram alagadas e causaram perdas na produção de feijão, segundo relatos de agricultores e agricultoras familiares.  A agricultora Patrícia Caetano Barreto, de 44 anos, conta que na propriedade da família perdeu tudo.  "Aqui na minha roça foi perda total. Alagou tudo. E o pedaço que ficou foi com feijão amarelado. Muita valeta na roça", lamentou. Ela planta feijão preto em cerca de 3 quadras de sua propriedade. 

  
 Perdas de hectares de feijão em virtude das enchentes no Agreste Meridional

Em Pernambuco, 70% do cultivo de feijão está no Agreste. São mais de dez mil hectares com plantio de feijão e a cidade conta com uma cooperativa de produtores. São cultivadas espécies como o feijão preto, carioca, bico de ouro, mulatinho, enxofre, rosinha, entre outros tipos.   
 
O Sindicato de Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares de São João e a Fetape têm acompanhado de perto a situação das famílias que, além das lavouras destruídas pelo volume de chuvas na região, também estão com rachaduras nas casas. Pontes foram destruídas, ruas com muita lama, perdas de móveis e imóveis.   


 
"A situação é de muitas perdas na lavoura. É muito difícil estimar os impactos pelo tamanho da extensão rural do município, que é  muito grande, relatou o diretor de Política Agrícola do STR, Paulo Camilo.   
 
A diretora de Organização e Formação e do Polo Sindical do Agreste Meridional, Jenusi Marques, acompanhou de perto a situação das famílias e visitou os municípios prejudicados com as águas, ao lado do deputado estadual Doriel Barros.  
 
“É preocupante a situação da agricultura familiar nos municipios atingidos pelas fortes chuvas, em especial o municipio de São João, que é um dos maiores produtores de feijão do estado. Em visita  às comunidades, presenciamos roçados totalmente encharcados, plantios amarelados e agricultores e agricultoras preocupados com tantos prejui?os. Além de trazer impacto na economia local, vai colocar mais famílias no Mapa da Fome", lembrou a diretora.


 
O deputado Doriel Barros solicitou ao Governo do Estado a criação de um programa de apoio às famílias produtoras do Agreste Meridional e da Zona da Mata. Além do restabelecimento da infraestrutura necessária à mobilidade de passagens e estradas.

Fonte: Fetape