Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 3.jpg
  • 8.jpg
  • 6.jpg
  • 9.jpg
  • 7.jpg
  • 10.jpg
  • 4.jpg
  • 2.jpg
  • 1.jpg
  • 5.jpg

Em referência ao Dia da Criança e Dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, celebrado em 12 de outubro, no último domingo (11), a CPT Alagoas promoveu uma atividade recreativa e educativa com as crianças das comunidades dos acampamentos Bota Velha, Santa Cruz e Mumbuca, localizados no município de Murici, zona da mata alagoana.

Aproximadamente 40 crianças participantes rezaram o Pai Nosso junto aos seus pais, na sequência, a estudante de pedagogia Katianny Lima fez três ações educativas levando em consideração o respeito ao meio ambiente e a preservação da natureza.

Uma das dinâmicas realizadas consiste em mostrar a importância de cada ser vivo para o ecossistema. “Um círculo é feito no local e cada criança assume um ser da natureza, a exemplo de pássaros, frutas, árvore e raízes, e todas vão sendo ligadas com um barbante. Quando uma criança diz que é uma fruta pergunta-se: ‘Quem se alimenta da fruta?’ E outras respondem: ‘Passarinho!’. Ao final, todos ficam envolvidos pelo barbante e, a retirada de um desses seres vivos provoca um desequilíbrio”, explicou Katianny.

 

Após o momento de reflexão, as meninas e os meninos plantaram 20 mudas de árvores pau-Brasil, ingá, mangueira, abacate entre outros. Essa iniciativa faz parte da campanha de plantação promovida pela ONG DKA Áustria e organizações parceiras, entre elas a CPT, que acontece do final de setembro até 20 de novembro, o Dia Internacional dos Direitos da Criança, além do Dia da Consciência Negra no Brasil. A ideia é que as crianças e jovens se expressem a respeito da proteção ambiental, tornando claro que o seu bem estar está inseparavelmente ligado a um meio ambiente saudável. 

“Estou plantando para criar frutos para comer, para nós crescermos saudáveis, para vender os frutos e ganhar um dinheirinho. É isso! A fruta é sagrada, o pé, a natureza...”, disse o menino Edgar. Já Pedro, falou que planta para ter sombra para proteger do sol e descansar em baixo da árvore.  

 

 

A atividade foi encerrada com um almoço coletivo na comunidade de Bota Velha, acampamento que resiste há mais de 20 anos na área de conflito no campo sob ameaça de despejo.

 

Mais fotos na página @cptalagoas no Facebook!

 

Texto: Lara Tapety - Ascom CPT/AL
Fotos: Carlos Lima