Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 4.jpg
  • 1.jpg
  • 5.jpg
  • 9.jpg
  • 7.jpg
  • 2.jpg
  • 6.jpg
  • 10.jpg
  • 8.jpg
  • 3.jpg

Sob o lema "Presente e futuro na missão: juventude CPT em revolução", jovens de mais de 14 equipes se reuniram de 7 a 9 de junho, em Cabedelo (PB).

 (Rafael Oliveira)

A cidade de Cabedelo, no litoral paraibano, recebeu, entre os dias 7 e 9 de junho a energia rebelde e revolucionária de mais de 30 jovens agentes de diferentes regionais da Comissão Pastoral da Terra (CPT). 

À beira mar, sob o persistente som das ondas que testemunharam a beleza e a potência desse encontro, as juventudes debateram suas realidades, desafios e gritaram seus clamores. Uma reunião construída a partir da diversidade de caminhada, de sonhos, de vivências. Muitas mãos, mentes e corações colaboraram para o que se concretizou em importantes momentos de partilha.

Dentre os anseios partilhados, coincide a busca pelo reconhecimento do protagonismo das juventudes nos espaços da Pastoral. “As partilhas trouxeram uma diversidade de identidades dos participantes, isso mostra que temos uma juventude empoderada. E é importante pontuar que a juventude não é o futuro, mas sim o presente da CPT”, afirma Jhon Nobre, da CPT Acre.

O encontro é fruto da articulação entre as juventudes que compõem as equipes da CPT e que faz parte de um percurso trilhado desde o IV Congresso Nacional da CPT realizado em Porto Velho (RO), em 2015. Em 2019, uma primeira reunião entre jovens agentes dos regionais, foi realizada em Goiânia para dar continuidade aos debates, mas a articulação foi interrompida por conta da pandemia.

A juventude reunida construiu uma linha do tempo para recordar os espaços ocupados e criados dentro da dinâmica interna da CPT desde então. A lista é grande: organização do Encontro de Juventudes do Cerrado, participação nos Conselhos Nacionais e na construção do V Congresso Nacional, criação de um diagnóstico para mapear as juventudes presentes nos regionais, dentre tantos outros.

“Nós reconhecemos a necessidade de fomentar e fortalecer o coletivo de juventude e protagonizar as ações presentes. Foi um exercício importante fazer memória e identificar as contribuições históricas no processo de luta de outros jovens que nos antecederam”, comenta Priscila Viana Alves, do regional Rio de Janeiro-Espírito Santo.

Para Edilara Leandro de Sousa, da CPT Mato Grosso, participar deste encontro foi determinante para compreender a caminhada que já envolve as juventudes da CPT. "Se eu não conheço o que aconteceu ao longo do tempo e chego tentando fazer algo contínuo, às vezes posso resvalar nos mesmos erros, que foi algo muito trazido no encontro. Temos que nos apropriar dessa história justamente para não ficar patinando e realmente fazer alguma mudança", pontua a agente.

A programação do Encontro também contou com uma visita ao Assentamento Jardim, no município de Curral de Cima (PB). A comunidade é acompanhada pela CPT de João Pessoa, e lá as/os agentes puderam conhecer um grupo de juventudes do próprio assentamento.

A calorosa acolhida com forró da banda ManéGrafia abriu caminho para todas e todos se apresentarem e trocarem experiências por alguns momentos. Após contar um pouco de sua história, o grupo de jovens do assentamento preparou carinhosamente uma apresentação de carimbó. E como é mês de São João, não faltou milho cozido, bolo, curau e mais um pouco de forrozinho.

Presente durante a organização e realização do encontro, Andréia Silvério, uma das representantes da Coordenação Nacional da CPT (Conac), avalia que o papel da Conac é incentivar a atuação da juventude por meio deste coletivo. "Nós devemos contribuir na construção dos espaços, garantir as condições de reunião entre as juventudes. Ou seja, fortalecer e incentivar que a juventude ocupe outros espaços dentro dos regionais, das grandes regiões, no Conselho Nacional. Dar condições para levar em frente as atividades de formação discutidas durante o Encontro”, finaliza a coordenadora.

O encontro dos/as jovens agentes da CPT terminou com alguns encaminhamentos, dentre eles a constituição de um grupo que irá dinamizar os direcionamentos sugeridos pelas representações regionais. A equipe ficou composta por jovens representantes das grandes regiões: Norte (Ludmila-TO), Noroeste (Sara-AC e Leuziene-RO), Nordeste (Jessica-NE II e Anselmo-BA); Centro-Oeste (Welligton e Edilara-MT); Sudeste (Priscilla-RJ/ES) e Sul (Andrei-RS). 

Tecendo todo esse caminho, a juventude presente no Encontro reafirmou seu compromisso pastoral de defender “preferencialmente” a vida dos povos do campo, das águas e das florestas, sem perder a essência da nossa CPT.  Como foi dito em algumas das vezes, a “juventude é fogo no pavio”. Que o fogo abrasador do Espírito Santo nos dê ânimo, coragem e esperançar na caminhada. Presente e futuro na missão: juventude CPT em revolução!