Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 3.jpg
  • 10.jpg
  • 9.jpg
  • 4.jpg
  • 6.jpg
  • 7.jpg
  • 2.jpg
  • 5.jpg
  • 1.jpg
  • 8.jpg

Números atualizados no último dia 30 de agosto pela Campanha Despejo Zero apresentam um aumento significativo e crescente nos números de despejos e remoções no Brasil. Houve aumento de 340% no número de famílias despejadas em 2020. Até agosto do mesmo ano foram 6.373 famílias removidas, enquanto até agosto de 2021 foram 21.725 famílias.

Três estados se destacam no número de remoções: Rio de Janeiro, São Paulo e Amazonas. Segundo a atualização da campanha no Rio de Janeiro, foram registradas 4.862 remoções de famílias; em São Paulo, 4.622; e no Amazonas, 3.080 famílias.

Os estados do Paraná e Pernambuco também chamam atenção no número geral de famílias despejas ou removidas. O Paraná registra o número de 1.656 famílias e Pernambuco 1.325 famílias.

De acordo com Marina dos Santos, da direção nacional do MST, essa crescente no número de despejos no Brasil estão nos fatores políticos e estruturais. “Estamos vivendo um momento histórico de doenças e mortes por conta da pandemia e também por conta do aumento da fome. E estamos com esse governo neofascista que privilegia os mais ricos e deixa os pobres e miseráveis na míngua.”

“É uma vergonha que, ao invés do governo se preocupar em garantir casa para o povo morar, terra para o povo produzir, emprego e renda, comida, e vacina, para evitar contaminação e mortes por conta da Covid-19, esse governo aumenta o preço da gasolina, o preço da comida e o número de despejos e remoções. Além disso, se presta ainda o desserviço de fazer disputas ideológicas com mentiras descaradas para o nosso povo em todos os lugares do Brasil”, complementa Marina.

Para Marina esse é um momento em que o povo brasileiro precisa de “sabedoria para resistir frente as políticas que estão sendo realizadas ao povo e resistir, principalmente para continuar vivo”, destaca.

Campanha

A Campanha Despejo Zero é uma articulação nacional que reúne mais de 100 organizações, entre elas o MST, para atuar na luta contra os despejos e remoções forçadas de famílias do seu local de moradia. Lançada em julho de 2020, durante a pandemia da Covid-19, a Campanha tem como objetivo ser um instrumento de denuncia acerca desse problema estrutural das cidades e no campo brasileiro.

*Editado por Fernanda Alcântara