Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 8.jpg
  • 7.jpg
  • 6.jpg
  • 5.jpg
  • 1.jpg
  • 3.jpg
  • 4.jpg
  • 2.jpg
  • 10.jpg
  • 9.jpg

O filme de 21 minutos foi gravado no Agreste de Pernambuco e denuncia os impactos desses grandes empreendimentos na vida das famílias e do meio ambiente

Depressão, insônia, dores de cabeça, além de transformações na natureza como a fuga de espécies, as rachaduras em casas e outros problemas foram relatados pelas famílias, lideranças sindicais, parlamentares e organizações que participam do documentário “A Armadilha da Energia Eólica” que foi lançado nesta terça-feira (16), no canal FetapeOficial no Youtube: https://www.youtube.com/c/FetapeOficial

A agricultora Maria Neuma Silva, do município de Venturosa, no Agreste Meridional, conta que o barulho constante tem feito ela perder o sono. Neuma dorme e acorda com o uso de medicamentos para controlar problemas de saúde mental como a depressão e a ansiedade. “Você toma remédio, mas não consegue dormir à noite. Só estou aqui por que não tenho dinheiro pra comprar um terreno em outro lugar. Esse vapor [barulho constante das pás cortando o vento] leva você à loucura”, desabafa.

Os sindicatos de trabalhadores rurais agricultores e agricultoras familiares afirmam que não foram procurados para um diálogo sobre os parques e nem para medir impactos ambientais. “Eu não tenho conhecimento de ter visto ninguém aqui procurando a gente antes da implantação dos parques ou para mobilizar os trabalhadores para fazer uma discussão, por exemplo, sobre os contratos, pois, a gente compreende que é um momento importante”, destaca a vice-presidente do STR de Caetés e da CUT-PE, Uedislaine Santana.

O Brasil atualmente é líder na América Latina em quantidade de parques eólicos. Ao todo existem mais de 970, sendo a maioria nos estados do Nordeste: Rio Grande do Norte, Bahia, Piauí, Ceará e Pernambuco. A Fetape, por meio da Diretoria de Meio Ambiente, vem promovendo encontros, rodas de diálogos e debates acerca do modelo adotado pelos grandes empreendimentos eólicos no país e divulgou uma Carta Política com proposições para minimizar os impactos desses grandes projetos na vida das famílias agricultoras.

 “Queremos que esse documentário possa proporcionar um debate com a sociedade, com os sindicatos e organizações de trabalhadores e trabalhadoras e que possa conscientizar as pessoas, além de melhorar a realidade. E que as empresas informem com transparência o que traz de bom e de ruim, pois queremos abrir o diálogo e dizer que não somos contra a produção de energia renovável, mas que esses parques respeitem a vida humana e todo o ecossistema do planeta”, afirmou a diretora de Política para o Meio Ambiente da Fetape, Rosenice Nalva.

 O documentário também ouviu pessoas e lideranças sindicais de municípios localizados em áreas de brejos, no Agreste Central, onde as empresas já começam a chegar para instalação dos parques. Em Brejo da Madre de Deus, considerada a capital da agroecologia, o presidente do STR, José Jaelson da Silva, destaca a importância do município na produção de alimentos orgânicos. “Nós temos vários pontos de matas que são preservadas com várias práticas de conservação do meio ambiente e vamos trabalhar para fortalecer a agricultura e a proteção ambiental”.

Serviço:

Documentário: A Armadilha da Energia Eólica – O impacto desses grandes empreendimentos em Pernambuco”

Canal no Youtube
https://youtu.be/IeQ2UA_3v_8