Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

A retomada é acompanhada por uma série de medidas que visam à segurança e à saúde das famílias camponesas e da população que busca alimentos agroecológicos

Após quatro meses, camponesas e camponeses acompanhados pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) estão se preparando para o retorno gradativo das feiras livres e agroecológicas no município de João Pessoa, na Paraíba. A reabertura desses espaços faz parte da sexta semana do plano de flexibilização das atividades no município. A retomada está sendo acompanhada por uma série de medidas e ações estratégicas que visam à segurança e à saúde das famílias camponesas e da população que busca alimentos agroecológicos.

As principais ações da CPT neste momento têm sido promover a articulação entre os órgãos responsáveis pela autorização das feiras e as famílias camponesas, além de orientá-las sobre os cuidados com a saúde e a prevenção do contágio da COVID-19.  Para a retomada das feiras, essas cumprirão exigências e protocolos de segurança sanitária, como: uso obrigatório de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), distanciamento social e realização de testes para a COVID-19. Camponeses e camponesas acima de 60 anos e crianças menores de 12 anos não participarão desse processo de retomada. As feiras também vão operar com números reduzidos de feirantes e de barracas. Em parceria com a agência CAFOD, a CPT adquiriu máscaras e viseiras de proteção facial, termômetros, luvas, álcool 70% e fitas para isolamento e sinalização dos locais de entrada e saída das feiras.   

 

Algumas feiras que integram a “Rede agroecológica produzindo saúde e multiplicando vidas”, na Diocese de João Pessoa, já voltaram a funcionar nesse esquema de segurança. São: a Feira Agroecológica do Equilíbrio do Ser, no bairro dos Bancários, a Feira Agroecológica da Ecovárzea, na UFPB, a Feira Agroecológica da Praça Rio Branco, no Centro da cidade, e a Feira agroecológica ECOSUL, no bairro do Bessa, Zona Leste de João Pessoa. São cerca de 100 camponeses e camponesas acompanhados pela CPT na Diocese de João Pessoa diretamente envolvidos no regresso das feiras nesta etapa inicial. A camponesa Criselda Maria, do assentamento Apasa, localizado em Pitimbu, é uma das feirantes que já retomou suas atividades. Ela comenta que após meses de afastamento, “estamos voltando às feiras com a preocupação de nos proteger e de proteger quem consome nossos alimentos. Estamos ofertando produtos agroecológicos e saúde”, destaca.

 

A agente pastoral e coordenadora da CPT Regional Nordeste 2, Tânia Maria de Sousa, avalia que o apoio ao retorno das feiras tem sido um serviço bastante cuidado e minucioso. “É exaustivo, mas ao mesmo tempo é gratificante poder acompanhar a reintegração de camponeses e camponesas a sua atividades de sustentabilidade e poder também testemunhar a satisfação que sentem neste reencontro com a população da cidade”, comenta. O agente pastoral da CPT em João Pessoa, Rogério Oliveira, também destaca a necessidade de seguir todos os protocolos de segurança e complementa dizendo que, mesmo com tantos desafios, “é uma alegria para as famílias e para a CPT poder ofertar diretamente os produtos agroecológicos com segurança”.

 As demais feiras da "Rede agroecológica produzindo saúde e multiplicando vidas”, na Diocese de João Pessoa, retornarão gradativamente nas próximas semanas.

 

Imagens:

Feiras Ecosul e Ecovárzea: Tânia Maria de Sousa/CPT João Pessoa

Feiras Equilíbrio do Ser e Rio Branco: Rogério Oliveira/CPT João Pessoa