Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

Em tempos de pandemia, as famílias camponesas de assentamentos da Reforma Agrária acompanhados pela CPT em Guarabira/PB são um sinal de solidariedade ao partilharem com quem precisa os frutos da terra. No último dia 17 de maio, famílias das comunidades Redenção, Senhor do Bonfim, Baixio e Várzea Grande doaram seus alimentos para 60 famílias do bairro do mutirão, localizado na zona urbana da cidade de Guarabira.

Macaxeira, inhame, feijão, leite, café, soja, além de outros alimentos e produtos de limpeza e higiene foram doados pelas famílias e pela CPT. A ação de solidariedade contou com a parceria da Pastoral Operária, da Associação Humanitária em Defesa dos Direitos da Comunidade do Mutirão e do Conselho Tutelar de Guarabira.

O gesto concreto estabelece entre campo e cidade uma relação de fraternidade. Diante da incerteza que tomou conta da vida humana com a pandemia da COVID-19, a agricultura camponesa é um modo de vida que se faz necessário. É construída com relações de mútuo cuidado entre família, comunidade, sociedade e o planeta, nossa Casa Comum. Devemos compreender que somos todos irmão e irmãs diante da globalização da indiferença e da desigualdade social.

As doações destes alimentos são importantes porque doar é um gesto de solidariedade, ato de amor humano unido ao amor divino. A doação de alimentos é uma ação de responsabilidade social que busca salvar vidas de famílias em situação de vulnerabilidade social. A doação move sentimentos e convida a sociedade a enxergar como a vida humana está sendo cuidada. A campanha da fraternidade 2020 proclama: a vida e dom e compromisso! Seu sentido consiste em ver, solidarizar-se e cuidar da vida que sofre. (Lc 10, 25-37).

 

Por CPT Guarabira/PB

Imagens: CPT Guarabira/PB