Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

CPT planeja realizar a feira quinzenalmente no Conjunto José Tenório

Nesta semana, quinta e sexta-feira (8 e 9) tem Feira Camponesa itinerante na praça Santa Terezinha, ao lado da igreja do Conjunto José Tenório. Quem perdeu a última, tem uma nova oportunidade de adquirir seu alimento saudável, direto da roça, produzido pelas famílias acompanhadas pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) no estado.

A Feira Camponesa retorna com todos os cuidados necessários para receber o público em segurança. Mais uma vez, a organização garante seguir as recomendações de enfrentamento à pandemia da Covid-19. No local, haverá termômetro, álcool 70 e os feirantes estarão de máscara.

O horário de funcionamento é das 6h às 17h no primeiro dia, e no segundo, das 6h até acabarem os produtos disponíveis. Quanto mais cedo o consumidor chega, mais produtos encontra. No final da feira, a vantagem está na pechincha.

Nas bancas sempre tem um pouco de tudo: abóbora, goma de tapioca, batata doce, ovos de capoeira, galinhas, mel, laranja, banana, cana caiana etc. Na última edição, muitos produtos acabaram rapidamente, tanto devido ao fortalecimento da divulgação pela imprensa, quanto pelo fato dessa feira ter caído no gosto popular.

Depois de uma reportagem, muita gente chegou ao local em busca da casca de pau citada pelo camponês Pedro Alves (Pedro Bentinho), do assentamento Todos os Santos, situado em Água Branca, sertão alagoano. “É a casca de um pau medicinal. Chama imbiratã. Serve para próstata e enfermidades. Todo mundo chegou para comprar e não deu para quem quis”, contou o camponês sempre presente nas feiras da CPT.

De fato, há estudos comprovando que a planta conhecida como imbiratã, nome científico Pseudobombax Marginatum, possui propriedade analgésica, anti-inflamatória, cicatrizante e expectorante.

Mas não foi só isso que Bentinho levou à praça Santa Terezinha. Ele falou ainda: “Eu trouxe rapadura, abóbora, feijão, farinha, feijão de corda, limão. Praticamente já se foi quase tudo. Limão acabou. O saco de farinha só tem um restinho. Trinta e cinzo dúzias de ovos de galinha de capoeira também acabou”.

O retorno da Feira Camponesa itinerante no mês passado superou as expectativas da CPT. Seguindo as orientações de prevenção, aconteceu nesse momento desafiante para todo o país e o mundo como uma alternativa para escoar a produção das comunidades de acampamentos e assentamentos, que lutam pela terra e por dignidade. Agora, outras feiras vão acontecer a cada 15 dias.

 

Mais informações:
Manhã
 – Carlos Lima (coordenador da CPT e historiador) 82 9 9137-6112
Tarde – Heloísa do Amaral (coordenadora da CPT e agrônoma) 82 9 9341-4025

 

Lara Tapety - Ascom CPT/AL 82 9 9697-1000