Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

 

“2017 será um ano desafiador, mas que não irá desanimar as lutadoras e lutadores da Reforma Agrária Popular. Permaneceremos atentos, organizados e mobilizados"

Cerca de 500 Sem Terra de todas as regiões de Alagoas estiveram reunidos no 25º Encontro Estadual do MST, entre os dias 20 a 23 de dezembro de 2016, no Clube Lindóya, na cidade de Satuba. Durante os dias de encontro, toda a militância do Movimento no estado participaram de diversas atividades de debate e planejamento, a partir dos desafios apontados para a luta e a construção da Reforma Agrária Popular.


De acordo com Margarida da Silva, da direção nacional do MST, o momento é de organização, resistência e luta para enfrentar os ataques à classe trabalhadora. 


“Vivemos uma conjuntura extremamente difícil para o povo brasileiro, que enfrenta diversos retrocessos nos direitos no campo e na cidade. É fundamental que possamos analisar o momento para coletivamente, traçarmos um planejamento para a organização e a luta na defesa de vida digna para o povo.”


Margarida destacou ainda que a diversidade de representação no encontro possibilita qualificar essa análise. ”Temos uma representação da dimensão do nosso Movimento: homens, mulheres, jovens e crianças de todos os nossos assentamentos e acampamentos em Alagoas, que estão dispostos a debater as nossas tarefas e desafios deste momento político que estamos”. 


A abertura do evento ocorreu na manhã do dia 20 e reuniu uma representação ampla de lideranças de movimentos populares, religiosos, amigos e amigas do MST em Alagoas. O Encontro seguiu sua programação com debate da conjuntura política, econômica e agrária, passando pelos desafios do movimento no estado e um dia dedicado ao balanço do ano de 2016 e planejamento para o ano seguinte.


A programação contou também com a 3ª Assembleia Estadual da Juventude Sem Terra, com cerca de 150 jovens dos diversos assentamentos e acampamentos, no debate dos desafios da juventude no campo e das suas tarefas na construção da Reforma Agrária Popular.

IMG_3469.JPG
Em 2017, o MST completa 30 anos de lutas e história em Alagoas.


Assim como a juventude, as mulheres Sem Terra realizaram sua assembleia estadual, onde socializaram as experiências organizativas e produtivas das camponesas no estado, além de planejarem as lutas e ações para 2017 protagonizadas pelas trabalhadoras rurais na defesa dos direitos sociais e da Reforma Agrária. Paralela à assembleia das mulheres, todos os homens presentes no Encontro reuniram-se para um debate sobre as relações de gênero, onde expuseram suas experiências e desafiaram-se no enraizamento do debate ao conjunto do Movimento.


Outros dois momentos também fizeram parte do processo formativo e celebrativo do 25º Encontro Estadual, a exibição do filme “Lua em Sagitário”, lançado em setembro de 2016, com cenas gravadas em áreas de assentamento e acampamento no Sul do Brasil, dirigido por Marcia Paraíso, que reuniu todo o encontro no Cinema na Terra. Além da Festa da Colheita, onde os delegados e delegadas do encontro celebraram a fartura da produção de alimentos saudáveis, apontando os desafios na organização da produção nos assentamentos e festejando a harmonia com a natureza e a cultura camponesa.


“2017 será um ano desafiador, mas que não irá desanimar as lutadoras e lutadores da Reforma Agrária Popular. Permaneceremos atentos, organizados e mobilizados de ponta a ponta de Alagoas, não daremos sossego aos que ousarem desafiar a força do povo organizado”, afirmou Margarida. “Vamos comemorar 30 anos de história do MST em Alagoas em 2017 e essa comemoração vai ser do jeito que nós sabemos fazer muito bem: com muita luta!”


Por Gustavo Marinho
Da Página do MST 


*Editado por Iris Pacheco