Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

Comunidades camponesas acompanhadas pela CPT na Zona da Mata Norte de Pernambuco organizaram mais um dia de solidariedade e de partilha de alimentos, nesta quarta-feira, 10/06. Desta vez, a ação ocorreu no loteamento Petribu, localizado na periferia do município de Tracunhaém, onde vivem centenas de famílias que estão enfrentando dificuldades neste período de pandemia.

Foram entregues mais de cinco toneladas de alimentos a cerca de mil famílias do local. Macaxeira, abacate, milho, pé de moleque, massa de mandioca, goma, maracujá, limão e melancia: todos os alimentos doados foram produzidos por famílias camponesas das comunidades de assentamentos da Reforma Agrária Chico Mendes, Ismael Felipe e Novo Canaã, em Tracunhaém. No momento da entrega, os/as camponeses estavam protegidos com máscaras e foi organizado uma fila para evitar aglomeração.

Estas famílias, que hoje doam alimentos a quem mais precisa, já passaram fome e viveram anos embaixo da lona preta, lutando pelo direito à terra e enfrentando o poder e a violência de Usinas de cana-de-açúcar da região. Hoje, entregam alimentos a famílias do loteamento Petribu, que carrega ironicamente o mesmo nome de uma das mais poderosas Usinas do estado. O loteamento em nada se assemelha a situação confortável em que vivem essa e outras Usinas de cana-de-açúcar. Ao Contrário, a pobreza extrema em que se encontram é fruto da concentração de terras e da desigualdade social provocada pelo setor sucroalcooleiro na região.

Na ação, a Juventude camponesa fez bonito e assumiu o compromisso com a solidariedade - Mais uma vez, os/as jovens das comunidades foram verdadeiros sinais de esperança. Participaram ativamente da ação de solidariedade, demonstrando o orgulho de viver no campo e o seu compromisso com os mais empobrecidos e empobrecidas. E fizeram questão de agradecer pela confiança e por vivenciar a experiência de partilha e de solidariedade: “Está sendo muito gratificante ter a oportunidade de participar desta ação de solidariedade com a CPT. Está sendo uma experiência única para todos que estão aqui”, afirma a jovem camponesa Auda Maria, da comunidade Chico Mendes. Para Alberico Silva, da comunidade Nova Canaã, o sentimento também é de “gratidão por estar fazendo parte dessa ação solidária, onde doamos alimentos para o próximo e onde pudemos ver um número enorme de pessoas que precisavam de alimentos”.

O exemplo contagiante da solidariedade - A entrega realizada hoje também trouxe outro sinal de esperança. Várias pessoas que haviam recebido alimentos doados pelas famílias camponesas na semana passada, no loteamento Baixa Verde, em Tracunhaém, fizeram questão de participar e contribuir como voluntários/as na ação realizada nesta quarta-feira. Uma rede de solidariedade está sendo tecida a partir de exemplos práticos de doação ao próximo e à próxima.

A ação de solidariedade faz parte da campanha “Partilhando o Pão e a Esperança”, realizada pela CPT e pelas comunidades acompanhadas pela Pastoral na Zona da Mata Norte de Pernambuco, com apoio da Diocese de Nazaré da Mata e da AMU – Ação por Um Mundo Unido. No município de Tracunhaém, a ação contou com a participação de lideranças camponesas e das associações comunitárias. O objetivo da campanha é garantir alimentos saudáveis, produzidos por famílias camponesas, para famílias em situação de fome nas periferias das cidades da região, contribuindo para o enfrentamento da COVID 19 em Pernambuco. Com os alimentos, os camponeses e camponesas levam também a esperança de dias melhores e de um mundo saudável e livre de desigualdades.

Fonte: Equipe CPT Mata Norte/PE

Imagens: Elizandra Gomes