Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

ADI pode inviabilizar titulações de territórios quilombolas

Artigo

O artigo 68 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias (ADCT) reconheceu, pela primeira vez na história da legislação brasileira, direitos formais aos quilombolas. Assim, de acordo com o ADCT, “aos remanescentes das comunidades dos quilombos que estejam ocupando suas terras é reconhecida a propriedade definitiva, devendo o Estado emitir-lhes os…

Leia mais:

Toffoli defende ‘marco temporal’ para titulação de quilombos no STF

 
Especialistas e quilombolas apontam que titulações serão inviabilizadas se posição prevalecer. Após voto, julgamento foi suspenso mais uma vez

O ministro Dias Toffoli defendeu o estabelecimento de um “marco temporal” para titulação de quilombos, hoje (9/11), ao dar seu voto no reinício do julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 3.239, proposta pelo DEM, contra o Decreto 4.887/2003, que regulamenta o reconhecimento dessas áreas.…

Leia mais:

Índios, quilombolas e trabalhadores são os que mais perderam direitos

Índios, quilombolas e trabalhadores são os que mais perderam direitos

Levantamento da Pública mostra que indígenas, quilombolas e trabalhadores estão entre os que mais perderam direitos constitucionais no governo Temer; saúde, educação e meio ambiente também foram afetados

Alice Maciel | Agência Pública - “Continuamos no mesmo barco, mas agora estamos à deriva, sem remo”, diz o presidente da Associação Quilombola de Mangueiras, Maurício Moreira dos Santos. Localizado na região nordeste de Belo Horizonte, o quilombo de Mangueiras teve seu território reconhecido no último ano de governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), em janeiro de 2016. O reconhecimento é o passo anterior à titulação, que garante a posse permanente da terra. O processo que “caminhava muito lentamente”, como Maurício observa, parou. “Não existe comunidade quilombola sem sua terra”, destaca.

Leia mais:

Galeria de imagens - Comunidades Quilombolas e Povos indígenas - Brasília 16.08.2017

No último dia 16 de julho, povos indígenas e comunidades quilombolas de todo o país ocuparam a Praça dos Três Poderes, em Brasília, para acompanhar dois importantes julgamentos no Supremo Tribunal Federal (STF). O julgamento que envolvia territórios indígenas no Mato Grosso ocorreu pela manhã e foi favorável aos povos originários do país. Já o julgamento do decreto 4887/03, que regula os procedimentos administrativos para a titulação de territórios quilombolas, foi adiadoe ainda não há previsão de nova data.…

Leia mais:

Quilombolas aguardam em vigília julgamento no STF em Brasília

Quilombolas aguardam em vigília  julgamento no STF em Brasília

É grande a expectativa para a votação no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a constitucionalidade do Decreto 4887/03, que estipula todos os procedimentos administrativos para a titulação dos territórios quilombolas no Brasil. Marcado para as 14hrs de hoje, 16/08, o julgamento deverá ser acompanhado de perto por mais de dois mil quilombolas de vários estados do país.…

Leia mais:

Mais de dois mil quilombolas devem chegar à Brasília para acompanhar julgamento no STF Qu

Mais de dois mil quilombolas devem chegar à Brasília para acompanhar julgamento no STF  Qu
 
Quilombolas de vários estados do país já estão chegando à Brasília para acompanhar o julgamento que acontece amanhã, dia 16/08, no Supremo Tribunal Federal (STF), sobre a constitucionalidade do Decreto 4887/03, que estipula todos os procedimentos administrativos para a titulação dos territórios quilombolas no Brasil. De acordo com a Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas, a CONAQ, aproximadamente 2.000 quilombolas devem chegar à capital federal até amanhã para acompanhar de perto a decisão do STF.…

Leia mais: