Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

  • 3.jpg
  • 2.jpg
  • 8.jpg
  • 6.jpg
  • 9.jpg
  • 7.jpg
  • 10.jpg
  • 4.jpg
  • 1.jpg
  • 5.jpg

Em busca de uma alternativa para escoar a produção das comunidades camponesas, a Comissão Pastoral da Terra de Alagoas (CPT/AL) passou a realizar mensalmente o serviço de delivery e sistema pegue e leve de alimentos agroecológicos selecionados das áreas acompanhadas pela organização. Trata-se do projeto Cesta Camponesa.

O projeto Cesta Camponesa foi criado diante do agravamento, causado pela pandemia, das dificuldades enfrentadas pelas famílias na luta pela terra, carentes de apoio governamental e que sofrem com a falta de infraestrutura básica e com a desvalorização do seu trabalho por atravessadores de alimentos.

O camponês Pedro Alves (Pedro Bentinho), conhecido pelo público fiel da Feira Camponesa itinerante por sua variedade de produtos na banca, enxerga nas cestas camponesas mais uma oportunidade para mostrar seu trabalho.
Pedro Bentinho

 “Antes a gente passava tudo para o atravessador. Hoje, através da Feira Camponesa da CPT, somos nós mesmos que estamos apurando a nossa mercadoria. Se tivesse sempre a cesta com nossas mercadorias, nos ajudaria muito”, disse Bentinho, que mora na comunidade do assentamento Todos os Santos, no município de Água Branca.

A camponesa Maria José, conhecida como Zezé, conta que antes de conquistar a terra, passava fome com sua família; hoje não falta comida na mesa, mas o desafio atual é levar os alimentos produzidos no assentamento para a população da cidade. Há 25 anos ela faz parte da comunidade Dom Hélder Câmara, localizada no município de Murici.
 
Dona Zezé
 
"Quando entrei no acampamento eu estava passando por muita dificuldade com meus filhos. Hoje eu não passo por necessidade. Tenho para comer, vender e dar, que não vai me fazer falta. Eu trago meus produtos sem veneno, tudo natural", relata Zezé. E complementa: "A nossa maior dificuldade é que precisamos pagar frete para trazer os produtos".

As cestas são organizadas pela equipe da CPT com alimentos produzidos em comunidades de acampamentos e assentamentos da zona da mata, do litoral e do sertão alagoano. Os produtos disponíveis mudam de acordo com o período de colheita de cada um.

Para adquirir uma cesta é preciso acessar a plataforma on-line informada nas redes sociais da CPT Alagoas. Em caso de dúvidas, o canal para esclarecimentos é via WhatsApp através do número (82) 99127-0293. Neste contato, também é possível se inscrever na lista de transmissão exclusiva para receber a informação quando os pedidos da Cesta Camponesa forem abertos, os produtos disponíveis e o link para escolher os alimentos orgânicos que prefere.

Ao pedir a Cesta Camponesa, a pessoa garante uma alimentação saudável, sem agrotóxicos, e contribui com o desenvolvimento de projetos sociais que visam transformar a vida das comunidades, além de questionar o concentrador, excludente e predatório modelo agrícola neoliberal, que tem como base o agronegócio.




Serviço: Cesta Camponesa

Contato: 82 9 9127-0293

Pedidos abertos na última semana do mês.

Entrega na primeira semana do mês seguinte.


Local: Sede da CPT (Av. Dom Antônio Brandão, 559 - Farol, Maceió/Alagoas)

Delivery: R$5 (consultar bairros distantes do Centro)





Outras informações:


Carlos Lima (Coordenador Nacional CPT) – 82 99137-6112

Heloísa do Amaral (Coordenadora Estadual da CPT) – 82 9 9341-4025



Press Kit: https://drive.google.com/drive/folders/1M0cv9Ybk_EgIl_fThP_1-50BIEV2o9ii?usp=sharing



Texto, arte e fotos: Lara Tapety (Ascom CPT/AL) – 82 996971000