Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

Operação resgata 25 pessoas de trabalho escravo no RN

Uma ação realizada pelo Grupo Móvel de Fiscalização do Ministério do Trabalho resgatou nesta semana 25 trabalhadores submetidos a trabalho degradante na zona rural de Carnaubais, no Rio Grande do Norte. Eles trabalhavam de forma informal na extração da palha das palmeiras nativas e em cerâmicas locais.

As condições em…

Leia mais:

Por que precisamos de um Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo?

Artigo*

“O Alojamento era um barraco de lona, sem paredes, fogão, banheiro, pia, luz elétrica. Não tinha nada. Um fiscal vigiava a gente o tempo todo. Às 4h da manhã, ele colocava os holofotes do carro dentro do barracão. Todos os dias eu preparava o café da moçada. Se a gente não fizesse, não comia. Cansamos de andar até 20 quilômetros a pé para chegar ao trabalho, com chuva ou sem. O mato não era baixo como o ‘Meladinho’ tinha prometido. Era uma juquira alta, serviço para trator. Um dos trabalhadores fez a conta: cada um de nós estava ganhando R$0,75 por dia. Parávamos por volta do meio dia para comer. Era arroz com mandioca fria, sem gosto. Como a gente comia no tempo, a água misturava na marmita. Nem tinha apetite para comer aquilo ali. Trabalhávamos até anoitecer. Um dia, um temporal tomou o céu. Era uma chuva de raios. Eu e mais três roçávamos perto de uma cerca elétrica e decidimos retornar ao barraco, com medo. Eram 14h30. Mal entramos e o fiscal veio para cima. Não adiantou explicar, o fiscal obrigou a gente a voltar. Deu o pior. Um trovão caiu perto da gente e cada um caiu para um lado. Nem sei explicar o que senti. O fiscal fez a gente levantar e retomar o serviço.”…

Leia mais:

NOTA PÚBLICA: Nova portaria do ministro do trabalho “acaba” com trabalho escravo

Em Nota Pública, a Comissão Pastoral da Terra (CPT), através de sua Campanha de Prevenção e Combate ao Trabalho Escravo, e a Comissão Episcopal Pastoral Especial de Enfrentamento ao Tráfico Humano da CNBB, se manifestam sobre a Portaria do Ministério do Trabalho que "numa só canetada, elimina os principais entraves ao livre exercício do trabalho escravo tais quais estabelecidos por leis, normas e portarias anteriores". Confira:…

Leia mais:

Queda no número de operações contra trabalho escravo preocupa diante da reforma trabalhista

Seriam necessárias, em média, uma fiscalização a cada dois dias para que, até o fim do ano, o número de operações contra o trabalho escravo fosse semelhante ao de 2016. Até o momento, segundo dados do Observatório do Trabalho Escravo, em 2017, só foram realizadas 18 operações de Grupo Especial de Fiscalização Móvel. Em 2016, foram 106. O Ministério do Trabalho está com estes serviços paralisados.

Leia mais: