Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

Dossiê contra Lei dos Agrotóxicos é lançado durante o IV ENA

Pulverização aérea, extermínio das abelhas, contaminação de sementes naturais e crioulas com sementes transgênicas, além de experiências de resistência dos produtores e produtoras rurais agroecológicos foram os eixos debatidos durante o “Seminário Agrotóxicos e Transgênicos”, realizado na tarde desta sexta-feira, 01|06, no Encontro Nacional de Agroecologia, em Belo Horizonte(MG).

Leia mais:

“Vale a pena o crescimento a custas do povo historicamente excluído”? Carta às pastorais e movimentos sociais

"Em nossas reflexões, sempre que falarmos em crescimento econômico deveríamos colocar um parêntese reflexivo: cresceu como, para quem e a custa de que"?, escreve João Paulo do Vale de Medeiros, professor da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte – UERN em Mossoró-RN, educador popular na Comissão Pastoral da Terra e militante do Movimento Mística e Revolução – MIRE.…

Leia mais:

Ruralistas lucram quase R$ 1 bi sobre juros em processos de desapropriação de terras

Depois de 18 anos, o Supremo Tribunal Federal (STF) julgará nesta quarta-feira (15) uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) relacionada à aplicação de juros compensatórios nas indenizações relativas a processos de desapropriação de terras por interesse social, incluindo as destinadas à Reforma Agrária. 


A Adin foi promovida pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) conta a Medida Provisória (MP) 2027 de 2000, editada pelo governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. A MP instituiu juros de 6% ao ano sobre a diferença entre o valor oferecido pelo governo e o decidido pela Justiça caso haja contestação por parte do proprietário. O percentual recairia desde o momento da troca da posse até o pagamento final, em tese, para justificar as perdas do dono do imóvel.…

Leia mais:

Rosana Maria: sou LGBT Sem Terra e ponto final

Rosana Maria: sou LGBT Sem Terra e ponto final
 

Já são mais de duas décadas de militância no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Com apenas 16 anos, Rosana Maria, a Rosinha, moradora do Assentamento Cícero Bernardo da Silva, em Pernambuco, entrou de cabeça na luta pela terra.

Leia mais: