Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

No Recife, ato repudia AI-5 e faz memória às vitimas da Ditadura

No Recife, ato repudia AI-5 e faz memória às vitimas da Ditadura

Na última sexta-feira, 13 de dezembro de 2019, foi realizado no Recife um ato político de repúdio aos 51 anos da assinatura do Ato Institucional nº5 (AI-5) e em memória às vítimas da Ditadura Militar no Brasil. Durante a manhã, centenas de pessoas e representantes de diversas organizações sociais estiveram presentes em frente ao Monumento Tortura Nunca Mais, na rua da Aurora, para fixar placas em homenagem às pessoas perseguidas, mortas e desaparecidas no período da ditadura.…

Leia mais:

STJ julga ação que pode evitar contaminação de sementes crioulas de milho por transgênicos

STJ julga ação que pode evitar contaminação de sementes crioulas de milho por transgênicos

  

Nesta terça-feira (17), o Superior Tribunal de Justiça (STJ), a partir das 14h, irá discutir uma ação ajuizada pela Terra de Direitos, Assessoria de Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa (AS-PTA), a Associação Nacional de Pequenos Agricultores e o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), que questiona os parâmetros de distância para o plantio de milho transgênico para evitar a contaminação das espécies não geneticamente modificadas.…

Leia mais:

80 mil escolas fechadas no campo brasileiro em 21 anos: quase 4 mil escolas por ano!!!!

Artigo

No ano de 2011, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) lançou uma campanha de denúncia contra o fechamento de escolas no campo brasileiro, denominada “Fechar escola é crime”, apontando o fechamento de 24 mil escolas no campo, entre 2002 e 2010. Isso correspondia ao fechamento de 3 mil escolas por ano, o que já era uma barbaridade.…

Leia mais:

NOTA PÚBLICA - Governo cede aos ruralistas e ameaça vida no campo

Diretoria e Coordenação Executiva Nacional da CPT expressam repúdio à anunciada intenção do presidente Bolsonaro de criar uma Garantia da Lei e da Ordem – (GLO) do campo, para autorizar a intervenção federal  quando  governadores estaduais protelarem a execução de mandados judiciais de reintegração de posse. Para a Pastoral, "Os indígenas, quilombolas, comunidades tradicionais, trabalhadores e trabalhadoras rurais, bem como os sem-terra vivem dias nefastos e sob constante insegurança. Isto é o que quer o presidente, submisso aos interesses ruralistas: atropelar prerrogativas estaduais e garantir impunidade a policiais e militares que alvejarem pessoas em reintegração de posse de propriedades rurais ocupadas ou já com posse efetiva. É uma licença para matar!". Confira o documento na íntegra:…

Leia mais: