Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

O encontro idealizado pela Diocese de Floresta ressaltou os impactos que a instalação de um complexo nuclear pode causar nas comunidades às margens do rio São Francisco

Com o objetivo de debater os possíveis impactos de um mega projeto que visa construir seis usinas nucleares no município de Itacuruba, às margens do rio São Francisco, conhecido como rio da integração nacional, foi realizado na cidade de Floresta, em Pernambuco, o encontro “O Rio São Francisco e suas energias: impactos e desafios”, nos dias 06 e 07 de novembro, evento que contou com a participação de bispos, padres, povos e comunidades tradicionais do município de Itacuruba que expressaram suas preocupações com mais um grande projeto para a região alertando que já foram bastante impactados com a construção da Barragem de Itaparica.

Foi destacado durante o evento que o desenvolvimento econômico que o progresso sugere não deve desdenhar da questão humana, sendo mais uma ação impositiva do poderio industrial sem que sejam consideradas as esperanças e temores da população local diante da instalação de complexo nuclear no seu município, especificamente para o povo de Itacuruba e da região do Sertão de Itaparica, com suas características, tradições e possibilidades. “Progresso não pode ser palavra bonita, mas vazia, não pode significar imposição de um modelo de vida baseado no ter e que acarreta problemáticas sociais muito fortes”, lembraram os bispos por meio de uma carta aberta às lideranças políticas do país.

Promovido pela Diocese de Floresta, com o apoio da Comissão Regional Pastoral para a Ação Sociotransformadora do NE2 CNBB, o encontro contou com a presença de Dom Limacêdo Antônio da Silva, Bispo referencial para Comissão Regional Pastoral para a Ação Sociotransformadora do NE2 CNBB e auxiliar da Arquidiocese de Olinda e Recife, além de diversos bispos e padres da Regional NE II, representantes da CPT, do CPP, do projeto Nova Cartografia Social, da Articulação Antinuclear Brasileira, professores das UFPE, UPE, UFPB, do prefeito de Itacuruba, Bernardo Maniçoba, além de vereadores das cidades de Itacuruba e Floresta, e deputados Estaduais.

Ao fim do encontro, foi divulgada a Carta de Floresta, um documento assinado pelos bispos da Diocese de Floresta Bispo diocesano da Diocese Dom Gabriel Marchesi , Dom Paulo Jackson Nóbrega de Sousa (Presidente da CNBB Regional NE 2), Dom Antônio Carlos Cruz Santos (Vice-Presidente da CNBB Regional NE 2) e Dom Limacêdo Antonio da Silva (Presidente da Comissão Regional Pastoral para a Ação Sociotransformadora), em que convidam todas as pessoas, independente de suas convicções políticas e ideológicas a se aprofundarem sobre o tema debatido no encontro e que se comprometam com a defesa e a promoção da vida dos povos, do Rio São Francisco e do meio ambiente.

Leia a carta na íntegra: Carta de Floresta