Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

No despertar da manhã deste domingo, dia 04 de novembro de 2018, centenas de camponeses e camponesas estarão concentrados/as em frente à Escola de Catolé, na estrada de Tupacoa, no município de Aliança, zona da mata norte, para participar da Romaria da Terra e dos Mártires.

 A Romaria - organizada pela CPT em Pernambuco e pelo conjunto de comunidades camponesas da região por ela acompanhadas - tem como objetivo fazer a memória de camponeses e camponesas que foram assassinados na luta pela terra, pelo território e por direitos, e animar as comunidades camponesas a seguirem no caminho de seus sonhos e direitos.

 

A data da Romaria foi escolhida para homenagear o trabalhador rural, canavieiro, Luís Carlos da Silva, assassinato há exatamente 20 anos, no dia 04 de Novembro de 1998, durante uma manifestação grevista pacífica, no município de Goiana, zona da mata de Pernambuco.  O trabalhador foi assassinado com um tiro na nuca por seguranças da CAIG - Cia Agroindustrial de Goiana  (Usina Santa Teresa) e pela Polícia Militar. Na ocasião, outros 13 trabalhadores rurais canavieiros foram alvejados, sobretudo pelas costas.

 

Percurso - Durante a Romaria, três paradas para reflexão conjunta serão realizadas. A primeira parada, denominada "caminhar como quem enxerga o invisível (Heb.11:27)” acontecerá ainda na concentração  e será um momento para que os/as participantes reflitam sobre o porquê de realizar uma Romaria da Terra e dos/as mártires. A segunda parada acontecerá no trevo da PE-062 com PE-004 e terá como tema: os/as mártires pelos agrotóxicos e pelo monocultivo. A terceira parada será no assentamento "Luisa Ferreira" e terá como tema: as Mulheres na Luta e no Brasil que queremos. A última parará será no local de chegada da Romaria, o Assentamento "Cazuza", quando os romeiros e romeiras refletirão sobre o tema: "prova de Amor Maior não Há" (João 15:13).

 

O sentido celebrativo e pedagógico da Romaria da Terra - Para a CPT, as Romarias da Terras, além de celebrativas, têm um cunho pedagógico, reforçando a mística da terra, da luta pela terra e na terra. Significam a afirmação da identidade e da condição dos camponeses e das camponesas enquanto membros de uma família maior, de uma grande “Liga Camponesa”. Significam a afirmação pública, aos olhos da sociedade, de que os povos da Terra, das Águas e das Florestas são “gente!, pois se juntam em grandes caminhadas, cantando cânticos de liberdade e de caráter pascal: sair do cativeiro para entrar na terra prometida, terra de fartura onde corre “leite e mel”.  

 

Nos moldes da Teologia da Libertação, elas significam o encontro de uma prática muito enraizada na tradição religiosa do povo camponês cristão - as peregrinações e romarias aos santuários e lugares sagrados - com o conteúdo da luta pela terra. O lugar para onde se caminha numa Romaria geralmente é marcado por lutas em defesa da terra, da Água, do Pão, da Justiça e Dignidade.

 

Serviço:

O que: Romaria dos/as Mártires e da Terra

Quando: 04 de novembro de 2018, a partir das 5h.

Onde: Concentração na Escola de Catolé, na estrada de Tupaoca, município de Aliança. Chegada no assentamento Cazuza, no Engenho Patrimônio, no município de Condado.

 

Outras informações:

Comissão Pastoral da Terra Nordeste 2

Renata Albuquerque

Fone: (81) 99663.2716