Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

A Polícia Federal realizou no início da manhã desta quinta-feira, 13 de setembro de 2018, a primeira etapa da operação de desintrusão da terra indígena Pankararu, no município de Jatobá/PE. A ação foi realizada em conjunto com o Comando de Operações Táticas da Polícia Federal (COT), com o Grupo de Pronta Intervenção (GPI) e com a presença da Polícia Militar (PM).

Nove famílias posseiras da comunidade Bem Querer de Baixo foram despejadas de seus sítios. Segundo informações locais, a operação não foi pacífica. Houve abuso da força policial, que utilizou balas de borracha e spray de pimenta. Alguns trabalhadores e trabalhadoras rurais chegaram a desmaiar e uma pessoa foi hospitalizada. As crianças da comunidade ficaram aterrorizadas com a violência policial.

Segundo a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do estado, esta é a primeira etapa da operação de desintrusão que visa retirar cerca de 230 famílias de trabalhadores e trabalhadores rurais das terras do povo indígena Pankararu. As próximas etapas, de acordo com a Secretaria, deverão demorar mais para ocorrer, porque envolve famílias que não têm absolutamente nenhum lugar para ficar.

 O caso envolvendo as famílias posseiras e o povo indígena Pankararu se arrasta há mais de 25 anos. As famílias posseiras já haviam entrado em negociação com órgãos governamentais que acompanham o caso, com o intuito de que lhes fossm garantida a terra e a moradia, no próprio município de Jatobá. Uma proposta de transferência para terras públicas da Chesf foi feita recentemente. Contudo, a operação de desintrusão, realizada pela Polícia Federal, na manhã de hoje, deverá acirrar ainda mais os ânimos no local e a omissão do poder público diante da situação pode deixar mais de mil pessoas sem terra e sem moradia.