Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

Agente histórico da Comissão Pastoral da Terra no Maranhão (CPT-MA), Pedro Albuquerque da Costa Marinho, o Pedro Marinho, faleceu aos 67 anos neste último sábado, dia 23 de março, em decorrência de um câncer de pulmão. Ele foi sepultado no domingo no Cemitério Parque da Saudade, em São Luís. Confira os vários depoimentos de pessoas que conviveram com ele:

 

(Fonte: Assessoria de Comunicação da CPT | Imagem: Arquivo Pessoal)

“Comprometido com a causa dos povos da terra e das águas, foi fiel à sua missão até completar sua Páscoa definitiva”, ressalta Antônia Calixto, conhecida como Toinha, que integra a equipe de agentes da CPT no Maranhão e que por longos anos conviveu, lutou e trabalhou junto com Pedro. Para ela, Marinho deixa “um legado às futuras gerações e à CPT a certeza de que lutar não foi em vão”.

Nos anos de 1980, Pedro atuava nas Pastorais Sociais da Diocese de Viana, a cerca de 217 quilômetros da capital maranhense, e desenvolvia várias ações em conjunto com a CPT, a qual, naquela mesma década, passou a integrar como agente de pastoral. Foram aproximadamente 30 anos de atuação na Pastoral da Terra.

“Pedro foi agente e coordenador da CPT-MA, e por muitos anos dedicou sua vida pela causa dos povos e comunidades rurais do Maranhão. Foi um grande conhecedor das lutas populares e sempre sonhou e lutou por justiça social”, manifestou, ao saber da morte de Marinho, a Pastoral da Terra. “[Pedro] ajudou muito a Diocese de Viana ao lado de Dom Xavier Gilles [ex-presidente da CPT] e dos pobres. Obrigado a Deus pela generosidade da sua luta”, publicou, em sua página no Facebook, a diocese na qual ele atuou por anos.

Além de toda a sua entrega às causas sociais, o humor era outra qualidade marcante de Pedro. Nas falas das pessoas que o conheceram sempre há uma história engraçada sobre ele para relembrar. “Pedro Marinho é daquelas pessoas inesquecíveis, cuja alegria contagia ainda neste momento as memórias que temos no coração”, afirma Cássia Regina, coordenadora do Centro de Documentação Dom Tomás Balduino da CPT. “Ele era querido demais, boa gente, divertido e comprometido. Nos deixou muito cedo”, destaca Darlene Braga, agente da CPT no Acre e integrante da Articulação das CPT’s da Amazônia.

Confira abaixo as manifestações de carinho e solidariedade de pessoas que conviveram, aprenderam e lutaram ao lado de Pedro, assim como de organizações sociais:

“Um companheiro incansável, prestativo e um dos maiores conhecedores das lutas das comunidades camponesas do Maranhão. Pedro Albuquerque da Costa Marinho, o Pedro Marinho, dedicou a maior parte de sua vida em defesa da causa dos pobres. Atuou por muitos anos na CPT-MA e se nutriu do sonho da liberdade e da Justiça.

Fui acolhido pela CPT em 2001 pelo companheiro Pedro e outros companheiros que já fizeram sua páscoa e outros que ainda mantém a teimosia e têm forças para abraçar a insurgência dos povos. A geração do Pedro foi aquela que transferiu a Missão da CPT à minha geração, contribuição importantíssima porque carregamos conosco a fidelidade ao Deus dos pobres e aos pobres da terra, das florestas e das águas, para os enfrentamentos de hoje.

Obrigado Pedro pela tua presença, rebeldia e, sobretudo, pela grande escolha que fizeste na tua vida: viver com os pobres e pelos pobres esquecidos. Descanse em paz ao lado de Josimo, Maurício, Alonso, Brechó, Dorothy, Cláudio e tantos outros e outras defensores da paz e da justiça”.

– Ronilson Costa, membro da coordenação da CPT no Maranhão 

“Pedro Marinho é daquelas pessoas que depois de um dedo de prosa já virava intimidade. E não havia outro caminho que não o das gostosas gargalhadas. Essa memória tão viva em nós mostra a pessoa do Pedro. A alegria de viver junto com o povo. Se o Pedro estava no encontro era garantia de uma vibração diferente de alegria e de indignação diante das injustiças. Somos mais felizes por te conhecer e sorrir junto com você, meu irmão. Nossa gratidão! Um beijo no seu coração. Amamos você!”

– Centro de Documentação Dom Tomás Balduino da CPT

“É com pesar que a OAB Maranhão, por meio da Comissão de Direitos Humanos, lamenta o falecimento de Pedro Marinho, ex-coordenador estadual da Comissão Pastoral da Terra (CPT-MA), na manhã deste sábado, 23 de março de 2019. Sua vida foi dedicada à luta por direitos dos povos do campo e será lembrada com carinho”.

– Comissão de Direitos Humanos da Seccional do Maranhão da Ordem dos Advogados do Brasil (CDH OAB-MA)

 “Pedro tinha uma profunda ligação com a Igreja do Maranhão a partir das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), rosto de uma igreja viva, atuante e dinâmica que acolhia os pobres da terra. Era nesse espaço que Pedro atuava e vivia a Missão da CPT.

Foi parteiro de tantos experimentos no estado do Maranhão, como: a queda de sindicatos pelegos através das escolas sindicais, do Partido dos Trabalhadores, iniciativa de criação da Rede Agroecológica do Maranhão (RAMA) e de tantas lutas por justiça e vida plena para todos. Foi caluniado, perseguido, amado e companheiro de muitas lutas. Correu tantos riscos, protegendo os perseguidos da ira do latifúndio. O que mais impressionava era sua animação em preparação às Romarias da Terra e das Águas do Maranhão, ora de celebrar a caminhada do povo na luta por terra e justiça.

Comprometido com a causa dos povos da terra e das águas, foi fiel à sua missão até completar sua Páscoa definitiva, deixando um legado às futuras gerações e à CPT a certeza de que lutar não foi em vão”.

 – Antônia Calixto, agente da Comissão Pastoral da Terra no Maranhão (CPT-MA)

“Nos solidarizamos com familiares e amigos/as pelo falecimento do companheiro Pedro Marinho, no último sábado (23/03) em São Luís (MA). Ele foi coordenador estadual da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e atualmente trabalhava na Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop). Sua trajetória será referência na luta pela reforma agrária e em defesa dos direitos humanos dos trabalhadores/as rurais. Que sua vida e caminhada nos movimentos sociais nos inspire por uma sociedade mais justa e igualitária. Pedro Marinho, sempre presente!”

– Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN)

“A ele [Pedro Marinho], sempre agradeci por ter me apresentado a realidade dos conflitos, ainda na minha época de faculdade. Viajei por vários cantos do Maranhão e ele foi um grande professor. Pedro Presente!”

– Diogo Cabral, advogado da Sociedade Maranhense de Direitos Humanos do Maranhão (SMDH-MA), e já atuou como assessor jurídico da CPT-MA

“Saudade de ti Pedro, muita saudade

Saudade de teus abraços, de tuas conversas, de tuas risadas, de tuas ideias

Saudade de ti, Pedro, muita saudade”

 Sandro Gallazzi e Anna Maria, agentes históricos da CPT

“Pedro Marinho do Maranhão, 

resta vivo em nossa memória por ter sido alguém que se comprometeu com as nossas causas e, além de seu compromisso, acrescentava seu humorismo e a capacidade de ver os absurdos dos sistemas opressores também através de bom humor com ironias e arranhaduras que descobriam os lados escondidos e sombrios das realidades. 

Pedro Marinho, te lembro sorrindo e fazendo sorrir! Com minha ‘requiem aeternam’ que peço ao Bom Deus por ti”. 

– Frei Luciano Bernardi, ex-coordenador nacional da CPT e membro da Pastoral da Terra na Bahia

 

 

Fonte: CPT Nacional