Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

Na manhã dessa segunda-feira, 09/01, representantes do Consulado e da Embaixada Holandesa no Brasil se reuniram com membros da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e do Fórum Suape para debater sobre os principais impactos causados pelo Complexo Industrial Portuário Governador Eraldo Gueiros (Suape) ao meio ambiente e às comunidades camponesas e de pescadores.

O interesse do Consulado e da Embaixada da Holanda no Brasil sobre a pauta se dá pelo fato de o país europeu manter relações comerciais com o Porto de Suape, através, particularmente, da empresa Holandesa que atua na área de dragagem e derrocagem, a Van Oord, vencedora da licitação para as obras de dragagem do canal de acesso ao estaleiro Promar.

Na ocasião, foi apresentado e debatido o panorama atual de violações de direitos humanos e de conflitos agrários entre antigos posseiros e a Empresa Suape. Também foi discutido a condenação recente do Porto e da Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH) pela Justiça Federal, que reconheceu os impactos causados ao meio ambiente e a pesca local em decorrência das atividades de dragagem e derrocagem na área.

Essa não é a primeira vez que o Consulado e a Embaixada Holandesa debatem a realidade e buscam mediações para prevenir conflitos e violações de direitos humanos no local. Em novembro de 2014, representantes da embaixada e o Consulado Holandes a CPT procuraram a CPT e o Fórum Suape para debater as violações de direitos humanos e os impactos causados ao meio ambiente por Suape. Também em 2013, a CPT recebeu a vista do então embaixador da Holanda no Brasil, Kees Rade para discutir sobre o caso.

 

CPT NE 2