Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

A exposição fotográfica ‘Mantenho o que disse’, que será inaugurada em Montevidéu no dia 14 de abril revela, em oitenta painéis, as condições em que vivem os indígenas da segunda maior etnia brasileira, os Guarani e Kaiowá.

 

(Fonte/Publicado no Cimi | Imagem: Pablo Albarenga)

A exposição fotográfica ‘Mantenho o que disse’, que será inaugurada em Montevidéu no dia 14 de abril revela, em oitenta painéis, as condições em que vivem os indígenas da segunda maior etnia brasileira, os Guarani e Kaiowá, no Mato Grosso do Sul. O ensaio é resultado do trabalho de três anos da brasileira Ana Mendes e do uruguaio Pablo Albarenga.

A exposição traz algo curioso. Ao lado das imagens, frases de políticos brasileiros ditas em situações públicas, discursos ou entrevistas, compõem um cenário que hora é de tristeza, ironia ou indignação. Difícil não se consternar ao ver a imagem de uma criança no hospital e ler “Estão aninhados quilombolas, índios, gays, lésbicas, tudo que não presta, estão aninhados ali”, dita por um deputado federal em 2013. A tentativa dos autores é levar o público a reflexão crítica sobre o que é dito explicitamente por políticos brasileiros no que se refere a questão indígena. São 15 frases, dentre elas: “Vamos parar com a essa discussão sobre terra. A terra enche barriga de alguém?” ou “Temos que produzir sustentabilidade. Ensinar a pescar.”

O ensaio, entretanto, não trata somente temas pesados e de difícil digestão. Ao contrário, Ana e Pablo buscaram retratar o cotidiano dos indígenas. Os momentos de alegria e carinho também estão lá. “A gente vem de uma escola da fotografia documental humanista que tem a intenção de denunciar sim, mas também de criar empatia. Eu fotografo um indígena do mesmo jeito que fotografo minha família, com amor.”, afirma Ana.

‘Mantenho o que disse’ é uma realização do Centro de Fotografia de Montevideo (CDF) e ficará aberto à visitação, na Fotogaleria Prado, na cidade de Montevidéu, até 11 de junho. Junto a programação da exposição haverá bate-papo com os autores e uma oficina de fotografia de J.R Ripper, fotógrafo brasileiro que assina o texto de abertura da mostra. A programação completa pode ser conferida em breve no site: http://cdf.montevideo.gub.uy/.

Enterro do agente de saúde indígena Clodiodi Aquileu Rodrigues de Souza, 23 anos, Reserva Te’ykue, Caarapó, MS. Crédito: Ana Mendes

SAIBA MAIS:

Ana Mendes: https://nocaminhoteexplico.wixsite.com/anamendes

Pablo Albarenga: pabloalbarenga.com

Centro de Fotografia de Montevidéu: http://cdf.montevideo.gub.uy/

SERVIÇO

O que: Exposição Fotográfica Mantengo lo que dije (Mantenho o que disse) de Ana Mendes e Pablo Albarenga.

Onde: Fotogaleria Prado, Pasaje Clara Silva esquina Av. Delmira Agustini. Montevidéu, Uruguai.

Quando: 14 de abril até 11 de junho de 2018.

CONTATO

Ana Mendes:

Whats/fone: (021) 997324272

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.