Comissão Pastoral da Terra Nordeste II

A fazenda São José localizava-se no município de Pedra, em Pernambuco, e tinha cerca de 866 hectares. A ocupação da área aconteceu em 30 de junho de 2002. Houve ameaças às famílias e intimidação por parte do morador empregado do proprietário do imóvel. As famílias organizaram-se e com apoio da Comissão Pastoral da Terra fizeram uma conversa com o proprietário do imóvel, falando das ameaças por parte do seu morador, bem da proibição de usar água da propriedade. A partir dessa reunião as famílias encaminharam documento ao Instituto de Colonização e Reforma Agrária - INCRA, pedindo vistoria e desapropriação do imóvel para fins de Reforma Agrária. Em 2005, ainda sem a realização da vistoria pelo INCRA, o proprietário recomeça a ameaçar as famílias e proíbe mais uma vez o uso de água, de lenha, e a circulação na propriedade. Neste mesmo ano, como forma de desmotivar as famílias acampadas, o proprietário vende metade do imóvel a um sindicalista de São Paulo. Agricultores e CPT exigiram uma audiência com superintendente do INCRA, onde este garantiu que não liberaria a documentação para venda do imóvel. O fazendeiro, enfurecido, fez os acampados tirarem os barracos de perto da cerca, começando a recuperá-las e colocar arame novo. Em 21 de novembro de 2011 foi emitido decreto de Imissão de posse. Hoje é o assentamento São José, local em que vivem 27 famílias produzindo e criando animais de pequeno porte.

Noticias dos Estados